Seja bem vindo!

Bem vindo ao Blog "Deus ajuda só a quem cedo madruga?"



Este espaço abrange textos sobre divulgação científica, cronobiologia, ritmos biológicos, tempo e também serve como um projeto em andamento de intersecção entre ciência&música


Boa leitura, comentários são bem vindos.



Um Abraço



Leandro Duarte



QUE HORAS SÃO?

terça-feira, 5 de abril de 2011

CRONOTIPOS HUMANOS: DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA E ORGANIZAÇÃO TEMPORAL INDIVIDUAL

APRESENTAÇÃO

Durante o Mestrado, ao estudar a ritmicidade circadiana de peixes, deparei-me
com o conceito que mais me acompanhou durante o doutoramento: plasticidade dos
ritmos biológicos. A plasticidade ou a capacidade de modificação, ajuste, “labilidade” é
a característica mais importante que um indivíduo tem que exibir ou adquirir para se
ajustar ao meio em que vive. E, se falamos de um meio ambiente cíclico, estamos
levando em consideração, os ajustes temporais, ou o processo de sincronização entre um
sistema de temporização circadiana e o ambiente e as diferentes estratégias que um
indivíduo utiliza para realizar esta sincronização. A temática deste trabalho não é
evolutiva como na época do mestrado com os peixes, também não utiliza modelos
animais e sim, o estudo da ritmicidade humana em seu ambiente natural. Tomei o
cuidado, influenciado fortemente por meu orientador, de não estigmatizar ou rotular as
pessoas e transformar o assunto: Matutinidade-vespertinidade em humanos em mais
uma forma equivocada- já são tantas-de nos diferenciarmos como seres humanos. Uma
frase que li não me lembro onde e, portanto, não saberia citar sua referência autoral
dizia: “A máxima igualdade é aquela que permite o exercício das diferenças”. No
presente trabalho, essas diferenças dizem respeito a diferenciação intuitiva que fazemos
quando analisamos o comportamento das pessoas e identificamos aquelas que preferem
dormir e acordar cedo, aquelas para quem não faz diferença os horários mais matutinos
ou vespertinos e, aquelas que preferem dormir e acordar mais tarde. E tão importante
quanto essas diferenças, são os conflitos enfrentados por esses indivíduos: basta
constatarmos a existência de pessoas que não conseguem permanecer em um
compromisso social noturno ou não conseguem continuar dormindo pela manhã quando
assim desejam: os matutinos; e aquelas que não conseguem acordar cedo, ou assim o
fazem com uma boa dose de mau humor: os vespertinos. A julgar pelas frases “Deus
ajuda a quem cedo madruga, “Chi dormi no piglia pesci”, “A quiem madruga, Dios le
ayuda”, Morgenstund hat Gold im mund” e, a mais escandalosa, a de Benjamin
Frankling “Dormir e acordar cedo fazem um homem saudável, rico e sábio” é fácil
concluir o quanto a sociedade têm como virtude as características matutinas. O tema não
podia ser mais estimulante para mim, pois como um bom vespertino, sofro com as
demandas sociais matutinas, principalmente tendo que ir morar no estado da Bahia no
decorrer deste trabalho. O estudo da plasticidade dos diferentes cronotipos humanos, em
nível populacional e em nível individual, constituem o tema principal desta tese, que,
pretendo eu, colabore com o entendimento desta particular característica humana tendo
sempre como pano de fundo o estímulo para o aumento de nossa liberdade em
exercitarmos nossas diferenças inter-pessoais, nesse caso, nossas diferenças temporais.
Leandro Lourenção Duarte
Setembro de 2008